Executivo da Ubisoft diz que os jogadores devem se sentir “confortáveis” em não possuir jogos

Os melhores jogos da Ubisoft incluem Far Cry 3, Splinter Cell, Assassin's Creed e Rayman

O Diretor de Assinaturas da Ubisoft, Philippe Tremblay, gerou polêmica após sugerir que os jogadores deveriam se sentir confortáveis ​​em não possuir seus jogos.

Em entrevista à Games Industry, Tremblay descreveu o plano da empresa para atender com mais flexibilidade às demandas dos jogadores. Juntamente com o Ubisoft+ Premium – que permite acesso antecipado e no primeiro dia a novos títulos – isso incluiu a adição do plano de assinatura Ubisoft+ Classics, dando acesso a títulos de catálogo anteriores como Far Cry 6 por R$ 26,99.

Como descreve Tremblay, tudo isso faz parte da visão da Ubisoft de direcionar os jogadores para planos de assinatura. “Uma das coisas que vimos é que os jogadores estão acostumados, um pouco como o DVD, a ter e possuir seus jogos. Essa é a mudança de consumo que precisa acontecer. Eles se sentiram confortáveis ​​em não possuir sua coleção CDs ou DVDs. Isso é uma transformação isso tem sido um pouco mais lento para acontecer (nos jogos).”

Tremblay continuou: “À medida que os jogadores se sentem mais confortáveis ​​nesse aspecto… você não perde seu progresso. Se você retomar o jogo em outro momento, seu arquivo de progresso ainda estará lá. Isso não foi excluído. Você não perde o que você tem. construído no jogo ou no seu envolvimento com o jogo. Portanto, trata-se de se sentir confortável em não possuir o seu jogo.

Naturalmente, isto revelou-se controverso para muitos. A falta de propriedade, não apenas dos jogos, mas também da mídia física, tem frequentemente gerado protestos negativos sobre a experiência do cliente. Tremblay destaca os pontos positivos do modelo da Ubisoft, argumentando que uma taxa mensal permite acesso a edições premium de jogos, recompensas, milhares de títulos e, possivelmente, o maior benefício – os jogadores podem acessar o progresso do jogo no PC ou Xbox no Brasil.

No entanto, os jogadores provavelmente estão muito menos preocupados em garantir que seu progresso seja salvo e mais em perder o acesso à sua mídia paga favorita. Por exemplo, os serviços de streaming rotineiramente retiram conteúdo, empurrando alguns títulos para território de mídia perdida.

Apesar da reação pública, Tremblay diz que os modelos de assinatura estão se mostrando bem-sucedidos para a Ubisoft, acrescentando que o Ubisoft+ Classics foi uma resposta direta ao comportamento dos jogadores. Ele acrescenta que a editora de jogos adicionou milhões de assinantes desde o seu lançamento, que jogaram coletivamente mais de 500 milhões de horas.

Confira também: Hogwarts Legacy acaba de fazer história!

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games no Jornada Geek. Aproveite para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitterinstagram e também no Google News.

Amante de filmes, séries e games, criou o Jornada Geek em 2011. Em 2012 se formou em Jornalismo pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF), e a partir de então passou a fazer cursos com foco em uma especialização em SEO. Atualmente é responsável por desenvolver conteúdos diários para o site com focos em textos originais e notícias sobre as produções em andamento. Considera Sons of Anarchy algo inesquecível ao lado de 24 Horas, Vikings e The Big Bang Theory. Espera ansioso por qualquer filme de herói, conseguindo viver em um mundo em que você possa amar Marvel e DC ao mesmo tempo.