Corpo em Chamas: A Verdadeira história por trás da série da Netflix

Corpo em chamas
Divulgação Netflix

Corpo em chamas (El cuerpo en llamas), nova série espanhola original da Netflix, acabou de estrear e já está dando o que falar entre os assinantes da plataforma apaixonados por um bom suspense.

A série ficcional inspirada no Crime da Guardia Urbana, é estrelada por ninguém menos que Úrsula Corberó (nossa eterna Tóquio de La casa de Papel).

Imagem da série Corpo em Chamas
Divulgação

Corpo em chamas, explora os eventos de maio de 2017, onde restos carbonizados do policial Pedro (José Manuel Poga) são encontrados dentro dos escombros de um carro em Barcelona.

A descoberta rapidamente cai na boca do povo, ainda mais depois que a investigação sobre o ocorrido começa a revelar uma rede de relações tóxicas, mentiras, violências e escândalos sexuais envolvendo Pedro e mais duas pessoas da polícia: Rosa (Úrsula Corberó) e seu ex-namorado Albert (Quim Gutiérrez).

Mas depois de assistir a produção, a pergunta que fica é:

Afinal, Corpo em Chamas é uma história real?

Sem mais delongas, de pronto, podemos te afirmar que a série Corpo em Chamas é SIM inspirada em um caso real, mais precisamente, no Crime da Guardia Urbana.

E o que foi o Crime da Guardia Urbana?

O Crime da Guarda Urbana é o nome pelo qual é conhecido o assassinato de Pedro Rodríguez, um agente da Guarda Urbana de Barcelona, ​​de 38 anos, cujo cadáver carbonizado foi encontrado em 4 de maio de 2017 em um carro incendiado perto do Pântano de Foix.

crime  da Guardia Urbana
Reprodução

A companheira da vítima, Rosa Peral, e seu amante, Albert López, ambos agentes da Guarda Urbana de Barcelona foram acusados ​​de terem matado Rodríguez na madrugada de 1º de maio de 2017 e, no dia seguinte, escondido o corpo no porta-malas de seu carro e queimado.

A investigação de homicídio trouxe à tona uma rede de relações tóxicas, enganos, escândalos sexuais e violência entre vários policiais de Barcelona.

E durante o julgamento, os dois réus acusaram-se mutuamente. Peral acusou López de ter matado o namorado por ciúme. López acusou Peral de tê-lo matado porque a agrediu e, posteriormente, de lhe pedir ajuda para se desfazer do corpo.

crime Guardia Urbana
Reprodução

Por fim, Peral e López foram condenados a 25 e 20 anos de prisão, respectivamente, e ainda tiveram que indenizar a família da vítima em 885 mil euros.

Todos os episódios de Corpo em chamas já estão disponíveis na Netflix.

Confira também: Estreias da HBO Max e Prime Video para assistir no fim de semana (09/09)

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games no Jornada Geek. Aproveite para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitterinstagram e também no Google News.

Sou brasileira, carioca da Gema, Bióloga, professora, Nerd, Traveller e geminiana. 39 anos com carinha de 25. Movida a filmes, séries e livros (falo sobre isso também nas minhas redes sociais @geekthingsblog). Tenho mais fases do que a própria lua, mas uma coisa que todos precisam saber sobre mim é que eu sempre realizo meus sonhos, por mais que isso demore um tempinho!