10 maneiras pelas quais Exterminador do Futuro 2 é o melhor filme da franquia

Filme é uma das produções de ação mais amadas pelo público das décadas de 80 e 90!

Divisão: Robert Patrick como T-1000 e Arnold Schwarzenegger como T-800 em Terminator 2

Em 1984, o diretor James Cameron lançou a fantástica franquia Exterminador do Futuro com seu filme de terror/ficção científica O Exterminador do Futuro. Foi um filme novo e ousado sobre robôs que viajam no tempo e a guerra desesperada da humanidade para destruir a Skynet, a IA maligna que bombardeou o mundo até o esquecimento. Isso fez de O Exterminador do Futuro, de 1984, um dos melhores filmes dos anos 80, mas então o Exterminador do Futuro 2 chegou e James Cameron se superou com aquele.

O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, de 1991, foi um exemplo raro e maravilhoso de uma sequência de filme melhor que o original. Esse filme recapturou quase tudo o que tornou o primeiro tão bom, ao mesmo tempo que adicionou muitos elementos novos em termos de história, valores de produção e ideias. Ainda hoje, O Exterminador do Futuro 2 se destaca entre os filmes de ação de ficção científica, e muitos fãs o consideram a melhor entrada da franquia Exterminador do Futuro por uma margem confortável.

10 – O Exterminador do Futuro 2 teve CGI inovador

Exterminador do Futuro 1989 Relacionado 10 maneiras pelas quais O Exterminador do Futuro, de 1984, ainda é o melhor filme do Exterminador do Futuro 2 é frequentemente considerado o filme de ação perfeito, mas O Exterminador do Futuro, de 1984, ainda parece o filme do Exterminador do Futuro mais especial da série.

Até agora, os fãs de filmes de ficção científica podem considerar excelentes CGI e outros efeitos especiais garantidos em filmes como Interestelar e as sequências de Star Wars, mas filmes mais antigos como O Exterminador do Futuro 2 ainda se comportam impressionantemente bem também. O CGI desse filme ainda é moderadamente bom para os padrões atuais, e era pura magia cinematográfica em 1991.

O Exterminador do Futuro 2 estabeleceu um novo padrão elevado com o CGI do T-1000, com o ator Robert Patrick derretendo e escorrendo como um robô de metal líquido cena após cena. Em qualquer década, esses efeitos são memoráveis, convincentes e arrepiantes de se ver, como o T-1000 escorrendo por um conjunto de barras ou até mesmo tendo a cabeça dividida ao meio, apenas para se fundir novamente.

9 – O Exterminador do Futuro 2 teve um ótimo arco de personagem para John Connor

A mãe heroína de ação de John, Sarah Connor, teve um excelente arco em O Exterminador do Futuro, de 1984, quando aprendeu a se tornar um soldado de verdade. Então, na sequência, seu filho John Connor teve um arco semelhante, passando de um delinquente punk a um jovem herói que arriscaria sua vida para salvar outras pessoas.

O arco de John foi altamente convincente em O Exterminador do Futuro 2. Ele sempre se preocupou com a humanidade, mas também se sentiu frustrado e sozinho, então compensou com palhaçadas punk. Isso tornou tudo mais realista quando Sarah e o amigável T-800 trouxeram à tona o que havia de melhor nele, em vez de forçá-lo a se tornar alguém grande. Um exemplo foi quando John achou engraçado o T-800 empurrar dois homens que o incomodavam, apenas para se opor quando o T-800 tentou matá-los a tiros.

8 – O Exterminador do Futuro 2 teve as melhores sequências de ação

Imagem composta John McClane, John Wick e TerminatorTodos os filmes do Exterminador do Futuro tiveram sequências de ação legais, desde as perseguições de carro do primeiro filme até a guerra sem fim em O Exterminador do Futuro, Salvação, de 2008. Ainda assim, a maioria dos fãs concordará que O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final tem as sequências de ação mais emocionantes, memoráveis ​​e criativas de todas.

Esse filme teve cenas legais como o T-1000 sendo congelado e quebrado, o T-1000 perseguindo os heróis em seu helicóptero da polícia roubado e o tiroteio dentro e perto do Hospital Estadual Pescadero. Os fãs também adoraram a cena em que o T-800 usou uma minigun para assustar dezenas de policiais sem matá-los.

7 – O Exterminador do Futuro 2 mostrou o T-800 se tornando mais humano

T-800 mata T-1000 no Dia do Julgamento do Exterminador do Futuro 2

Como uma máquina, o amigável Exterminador T-800 que lutou por John nunca poderia realmente experimentar sentimentos ou emoções, mas ainda poderia agir de forma mais humana externamente, pelo menos. No primeiro filme, o vilão T-800 apenas repetiu frases que ouviu de outras pessoas, mas o próximo T-800 parecia completamente diferente.

Com o tempo, o T-800 aprendeu a compreender e trabalhar com seres humanos emocionais, tratando-os com mais delicadeza do que qualquer outro Exterminador o faria. Isso deu ao amigável T-800 um arco fascinante sem torná-lo muito fofinho ou inocente, o que era um meio-termo adequado para o personagem robótico. Nenhum outro personagem robô Exterminador conseguiu isso desde então.

6 – Exterminador do Futuro 2 fez de Sarah Connor uma grande heroína de ação

O primeiro filme do Exterminador do Futuro deu à heroína Sarah Connor um bom arco pessoal, porque ela passou de uma vítima assustada a uma lutadora durona perto do fim. Essa transformação tornou-a divertida de assistir, mas ela ainda não havia se tornado uma verdadeira estrela de ação quando os créditos rolaram. Os melhores dias de luta de Sarah chegariam mais tarde em Exterminador do Futuro 2.

Em Exterminador do Futuro 2, Sarah não era a protagonista, mas era a melhor estrela de ação humana, desde seu uso especializado de armas de fogo e explosivos até seus nervos de aço e experiência de combate arduamente conquistada. Ela se juntou a nomes como Ellen Ripley e Princesa Leia como uma das melhores heroínas de ação do cinema.

5 – Exterminador do Futuro 2 encerrou a história perfeitamente

O T-800 interpretado por Arnold Schwarzenegger no filme Terminator 2: Judgment Day

Muitos fãs do Terminator podem concordar que os dois primeiros filmes da franquia contaram toda a história, com Terminator Salvation, de 2008, servindo como um divertido spin-off para dar corpo à guerra futura com mais detalhes. Os filmes seguintes do Exterminador do Futuro pareciam reformulações, desfazendo o desenvolvimento do enredo dos dois primeiros filmes simplesmente para criar mais filmes.

O Exterminador do Futuro de 1984 começou a história e teve um final aberto, enquanto o Exterminador do Futuro 2: Dia do Julgamento de 1991 tinha claramente a intenção de terminar a história de verdade. Os paradoxos do tempo foram amplamente resolvidos, não sobrou nenhum vestígio de qualquer Exterminador do Futuro e a humanidade foi salva. Isso permitiu que Exterminador do Futuro 2 terminasse confortavelmente a história antes que parecesse que os produtores estavam arrastando as coisas.

4 – Exterminador do Futuro 2 mostrou o que está em jogo no dia do Julgamento Final

O primeiro filme do Exterminador do Futuro criou enormes riscos quando o futuro soldado Kyle Reese explicou o Dia do Julgamento, quando a Skynet bombardeou a humanidade com mísseis nucleares e os Exterminadores assumiram o controle. O terrível aviso de Kyle pareceu mais real do que nunca em Exterminador do Futuro 2, quando Sarah teve um pesadelo vívido sobre o apocalipse que estava por vir.

Sarah sabia que em 29 de agosto de 1997, o Dia do Julgamento destruiria a civilização, e ela viu isso em uma horrível sequência de pesadelo no meio do filme. Felizmente, isso nunca se tornou realidade, mas a ideia do Dia do Julgamento atingiu com mais força do que nunca quando o filme mostrou como deveria ser.

3 – Exterminador do Futuro 2 teve uma atuação incrível de Robert Patrick como o T-1000

Robert Patrick como T-1000 em O Exterminador do Futuro 2

O icônico ator Arnold Schwarzenegger impressionou os espectadores com sua atuação como um enorme robô assassino disfarçado em O Exterminador do Futuro, mas essa não é a única maneira de retratar uma máquina assassina do futuro. O ator Robert Patrick teve um desempenho impressionante como o metal líquido T-1000 em O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, um novo tipo de vilão para os fãs gostarem de assistir.

A atuação de Robert Patrick convenceu os fãs de que eles estavam olhando para um assassino astuto e insensível determinado a matar John a qualquer custo, desde seu comportamento falsamente amigável em torno dos Voights até seus olhares assustadoramente frios e seu diálogo ameaçador. Patrick não tinha um físico musculoso para vender a letalidade de seu personagem, mas tinha o rosto e a voz perfeitos para o papel. Alguns dos detalhes menores também ajudaram, como o T-1000 que nunca piscava quando disparava rapidamente suas pistolas – apenas olhava com olhos duros.

2 – O Exterminador Amigável foi uma reviravolta legal

O T-800 está prestes a ser reduzido a aço fundido

O Exterminador do Futuro de 1984 tinha apenas um robô, e era um vilão. Na sequência, John Connor só teve uma chance porque tinha uma unidade furtiva T-800 reprogramada para protegê-lo, embora John tenha levado um momento para se acostumar com isso. O T-800 reprogramado faria qualquer coisa pelo bem de John, mas no início era frio e estranho, como qualquer robô assassino fingindo ser humano.

Ainda assim, o T-800 teve um arco impressionante como um Exterminador “resgatado”, auxiliado pela grande novidade na época de ter um T-800 amigável por perto. Os trailers de filmes da época estragaram essa reviravolta para alguns espectadores, mas para todos os outros, foi uma reviravolta chocante e emocionante ver o robô assassino do primeiro filme se tornar um herói. Os filmes posteriores do Exterminador do Futuro tiveram retornos decrescentes com essa ideia.

1 – Exterminador do Futuro 2 teve o melhor humor entre todos os filmes da franquia

o Exterminador do Futuro está sorrindo enquanto segura uma minigun

Mesmo os filmes de ação mais violentos e sombrios darão ao público uma pausa com um pouco de humor, desde piadas curtas até personagens trocando piadas. O primeiro filme do Exterminador do Futuro teve pouco humor e nada disso foi citável ou memorável, mas a sequência mudou tudo isso com um humor eficaz e equilibrado.

O Exterminador do Futuro 2, incluindo suas cenas excluídas, fez o público rir sem quebrar totalmente a imersão ou estragar o clima. O melhor exemplo foi quando John pediu ao amigável T-800 para praticar o sorriso, apenas para obter resultados desconfortáveis. O filme também foi muito engraçado quando o T-800 saiu daquele bar de motoqueiros com “Bad to the Bone” de George Thorogood & The Destroyers tocando.

Confira também: Zack Snyder revela qual filme de Natal é ‘obviamente’ seu favorito

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games do Jornada Geek. Aproveite também para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitter, instagram e também no Google News.

Notícias Relacionadas

Jornada Geek
Jornada Geek
Criado e liderado por Marco Victor Barbosa, jornalista formado pela UniAcademia (antigo CES/JF), o site Jornada Geek foi fundado em 2012 sob o nome de Cinefagia. Em 2016 seu nome foi alterado, e ao longo de todos estes anos foi atualizado constantemente com notícias e textos sobre filmes, séries e games.

Jornada Geek + Lolja

Últimas Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui